Eduardo dos Santos e seus homens continuam a se articular no mundo como verdadeiros mafiosos

zedu67O mundo da máfia esta cada vez mais organizado e poderoso com as novas artimanhas que vão fabricando todos os dias , para controlar os negócios mais sujos de uma grande parcela do planeta.

Angola , com a maioria das suas riquezas entregue em mãos de governantes corruptos , pontifica na lista da máfia internacional em lugar , que já vai causando grandes preocupações , e desastrosas conseqüências ao povo sofredor de angola.

No mundo dos negócios da máfia internacional, alguns governantes angolanos continuam a atingir alguns dos seus objectivos , sejam eles criminosos ou não , por que a maioria deles trabalham em sintonia com multinacionais internacionais muito forte , em termos de estrutura.

Eles hoje parecem, mais habilitados graças ao esforço de alguns inteligentes que resolveram meter suas inteligências ao serviço de um governo mafioso , sem qualquer compromisso como a pátria e o povo angolano.

Hoje na corrida desenfreada aos dólares, eles negociam de tudo um pouco , desde aos nucleares , políticos , desportivos até mesmo a dignidade de seu próprio povo.

Tudo na perspectiva de roubar o mais rápido possível , por que o amanha poderá ser tarde demais , numa altura em que o povo angolano parece ganhar consciência e ir se libertando do medo , imposto pelo regime.

As estratégias são quase sempre elaboradas por pessoas muito ligadas ao governo , que acabam por se beneficiar dos esquemas e negócios muitas vezes , dos mais sujos da história da humanidade.

Por exemplo, mesmo á pouco tempo foi descoberto de que , a participação de angola no mundial da Alemanha , afinal tinha sido negociada com uma determinada organização , em troca de 10 % da produção de diamantes e 17% da produção do petróleo , em jogadas de bastidores.

São nessas e noutras jogadas sujas , que o governo mafioso de angola não se importa gastar volumosas somas de dólares.

Também fala-se em estratégias negociadas para desacreditar figuras de partidos da oposição e membros de associações cívicas como a Omunga e outras , para se manter no poder e conseguir adormecer e outros que se julgam conhecer tudo.

Não são poucas as vezes que ficamos sem compreender , como é que , pessoas de tão boa formação , acadêmica , profissional e diria mesmo política , se deixam enrolar , por alguns dúbios de formação medíocre , que governam um país tão rico como Angola , também em matéria humana.

A questão angolana se quisermos ser sinceros e realistas , já não se coloca do ponto de vista político , porque aquilo que o MPLA / JES tem feito em Angola , já não tem nada haver com política.

Se mesmo depois de mais 30 anos não conseguiram criar instituições públicas credíveis e suficientemente sólidas , argumentando alguns , de que , ainda é muito cedo , o que não foi cedo para roubarem os biliões aos cofres públicos.

De 1975 para cá Angola tem , alternamos entre Netismo , Eduardismo ,Ditaduras , além de algumas farsas democracias , do jeito musculado.

Na realidade , Angola tem tido eleições mesmo sendo manipuladas e serão sempre , porque os homens que se instalaram no governo , têm sabido explorar as fraquezas do povo angolano , em proveito da bandidagem , e faz do medo desse povo , sua fonte de rendimento.

Embora existam regras que devem garantir a lisura eleitoral , o regime angolano cheio de vícios e embaraços jamais , se sentirá , obrigado á cumprir com as regras democráticas.

Como por exemplo tudo valeu nas eleições passadas , para fraudar o processo eleitoral naquele país , sem que os Angolanos tivessem coragem de protestar , as aldrabices do partida da situação.

Nas eleições passadas tudo valeu para fraudar e viciar o processo.

Desde a qualificação dos eleitores , entre sulanos e nortenhos e até de pessoas imaginadas , tudo foi feito , para derrotar , quem partia para o jogo esperando por justiça.

No dia das eleições , muitos eleitores foram impedidos de colocar seu boletim de votos e houve , troca de boletins por outros previamente preparadas .

Houve militares que em troca de 500 á 700 dólares tiveram a missão de queimarem urnas e falsificarem atas, numa contagem fraudulenta , onde se alterava a contagem dos votos.

Haviam figuras de expressão local nas províncias que controlavam o acesso a muitos empregos , mobilizando e fazendo promessas ,de que, concederiam benefícios aos que votassem no MPLA e criariam embaraços , para quem não estivessem do seu lado.

Em Luanda os directores de quase todas as empresas lidagas ao Estado , tiveram a missão de oferecer cabazes aos seus familiares em troca de votos e as ameaças para votar no MPLA era uma constante.

Todas as estratagemas foram utilizadas entre oferta de dinheiro , roupas , chapéus , porta chaves , tudo para comprarem a consciência dos angolanos e forçá-los a votar no MPLA.

Muito antes de encerrar o acto eleitoral muitas figuras do partido no poder já , cantavam á vitória com a certeza do trabalho sujo ter sido cumprido até ao último pormenor.

Em regiões onde eram consideradas como espinha dorsal da oposição , o regime não perdeu tempo , os escândalos até chegaram a ser ás escanqueradas , os militares cumpriam as ordens dadas pelas chefias e estratégias elaboradas e coordenadas ,pela famigerada comissão eleitoral de eleições de Angola.

E no fim conclui-se de que as eleições não satisfazia e nem representava a vontade popular , mas sim dos partidários do MPLA de Eduardo dos Santos , um dos maiores assassinos do continente africano.

Sembele Muene (Em Portimão)

×