"VALORES DA TAXA DE CIRCULAÇÃO DEVEM MELHORAR AS ESTRADAS" - MANUEL FAUSTINO

O presidente da associação dos taxistas de Luanda apelou aos seus associados a pagarem a taxa de circulação.

Manuel Faustino lamenta o estado das estradas da capital angolana, afirmando que os valores arrecadados da taxa de circulação, deviam ser empregues na reabilitação das estradas.  

“Não vamos deixar de pagar a taxa de circulação, embora desanimados, desapontados com isso. Nós os taxistas somos os mais visados, porque é a maior ferramenta que temos: as estradas. Sem as estradas não funcionamos” – disse. 

O líder associativo teceu também duras críticas ao decreto presidencial número 135/10, que proíbe a entrada no país de viatura com mais de três anos de fabrico. 

“Se termos em conta que 80 por cento dos taxistas estão nas zonas suburbanas, ali nos musseques, então porque a exigência de carros novos, viaturas zero quilómetros ou carros com dois ou três anos de uso, para partirmos naqueles buracos?” – questionou. 

Segundo Manuel Faustino, os automobilistas apenas pagam a taxa de circulação por ser obrigatório, porque a maior parte das estradas do país continuam esburacadas. 

“Acredito que se esta taxa de circulação não fosse obrigatória, nem meia dúzia de pessoas pagaria. Primeiro é o factor de pagar, porque ninguém gosta de pagar, mas o grande factor seria pagar por algo que você não usa” – frisou.

“Devíamos ter a razão de o porque é que pagamos” – continuou. 

“Também vamos aceitar que existe algumas estradas reparadas. Devia ser a maior parte das estradas estarem reparadas, mas não. Existem algumas. É o contrário: a maior parte das estradas não estão reparadas e quando se reparam são para meia dúzia de dias” – salientou.

Acrescenta que o governo deve dar maior atenção as estradas do país. 

“O governo deve dar maior atenção nas estradas. Falo em nome do nosso colectivo, porque precisamos de trabalhar, servir esta população e com viaturas em condições” – concluiu.