Morte de oficial angolano no Congo

Lunda – Norte - Esta a circular no Congo- Kinshasa, informações que atribuem a morte de um dos responsáveis das tropas angolanas estacadas naquele país e que vida era conhecido por comandante Sakayoya

Não são reveladas as circunstancias que terão motivado o infausto. Fontes oficiais angolanas recusam-se a comentar ou confirmar o assunto.

Á quatro anos atrás, o Comandante Sakayoya, esteve desenvolvendo diligencias na localidade de Cafunfo, na altura exercia funções de 2º Comandante Provincial para a protecção e intervenção da policia na Lunda - Norte.

Há, por outro lado, denuncias das comunidades no interior de Angola que referem ter testemunhado, desde sexta feira 2 Janeiro do novo ano, acções das FAA e Policia com características de rusgas, na localidade de Cuando, Dundo e Kapenda – Kamulemba. Os alvos “caçados” foram /miúdos/jovens, ao que levou a população a suspeitar que seja recrutamento para apoio de militares angolanos que operam na Republica Democrática do Congo.

O envolvimento de tropas angolanas no conflito no Congo foram reiteradas vezes desmentidas pelas autoridade em Luanda. Os rebeldes do General Nkunda (foto) chegaram a dada altura, denunciar intercepções de rádios de soldados que comunicavam-se em Português. Um oficial das Nações Unidas teria igualmente denunciado ou verificado soldados angolanos no terreno.

A Polícia congolesa, de acordo com informações do “África Monitor” está a ser dotada de um novo sistema de comunicações, cuja montagem conta com o apoio técnico da polícia de Angola. O comissário Alfredo Mingas “Panda”, antigo 2º comandante da Polícia de Angola, voltou a ser referenciado em acções directamente relacionadas com a ligação à Polícia da RD Congo. Antes de ser nomeado 2º comandante da Polícia e comandante provincial de Luanda desempenhava funções especiais no campo do apoio que Angola presta ao regime de Joseph Kabila. É considerado da confiança de M H Vieira Dias “Kopelipa”, chefe da Casa Militar da PR, ao qual cabe coordenar e centralizar e acção na RD Congo