Moeda angolana pode desvalorizar mais 3,4% com queda das receitas do petróleo

Luanda - A moeda angolana, que o banco central deixou desvalorizar em Abril, poderá ainda perder mais 3,4% este ano, segundo o Rand Merchant Bank (RMB), que justifica esta estimativa com os cortes de produção de petróleo e a estagnação dos preços do crude nos mercados internacionais, o que penalizou as receitas do país.

Segundo o banco, a divisa angolana poderá cair para 83 kwanzas por dólar até ao final do ano, uma vez que os preços do petróleo – apesar de estarem a subir – estão a negociar a cerca de 60% abaixo do máximo histórico de 147,5 dólares por barril atingido a 11 de Julho do ano passado.

Além disso, Angola, como membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), tem vindo a proceder a cortes de produção no âmbito dos acordos de redução do “plafond” global do cartel, sublinhou à Bloomberg o responsável pelo departamento de reservas externas do RMB, John Cairns. Saliente-se que Angola é o segundo maior exportador africano de crude.

Na sessão de hoje, o kwanza seguia pouco inalterado, a valer 77,8060 kwanzas por dólar.

“Apesar de as cotações do petróleo terem subido ligeiramente, continuamos a considerar que ainda estão num preço suficientemente baixo para manterem uma pressão negativa sobre a economia angolana e o kwanza”, afirmou Cairns à Bloomberg.

No passado dia 16 de Abril, o Banco Nacional de Angola deixou desvalorizar o kwanza em mais de 5%, para 79 kwanzas por dólar, uma vez que a queda das receitas provenientes das vendas de petróleo e diamantes – responsáveis por mais de 90% das receitas de exportação do país, segundo os dados do RMB – limitou a sua capacidade de recurso às reservas estrangeiras para sustentar a moeda. O banco central angolano esteve a segurar a moeda durante alguns meses, mas dado que o kwanza continuou a fragilizar, considerou que já não deveria gastar mais dinheiro nesse objectivo.

Além disso, cortou também 11 mil milhões de dólares do seu Orçamento de 2009, no valor de 42,3 mil milhões de dólares, devido à queda dos preços do crude, anunciou a 19 de Março o ministro angolano das Finanças, Severim de Morais.

×