Arma apreendida nas mãos de dirigente do MPLA

akm-mpla.jpgLuanda - O  1º secretário do MPLA, no município do Mungo, província do Huambo, João Pires, esta a ser criticado por sectores da sociedade civil e política naquela localidade, por fazer uso de uma arma de fogo de marca, AK-47, n.º 7210, num período que as autoridades polícias em Angola, desenvolvem uma campanha de desarmamento da população.

Opositores apelam intervenção da polícia

As criticas aumentaram depois de o mesmo ter feito oito disparos, na noite do dia 24 de Junho, Dispersando assim, desesperadamente, a população local.

A UNITA, seu maior adversário político, na pessoa do seu secretário municipal, Paulo Numa, fez sair uma comunicação alertando a polícia que “o rearmamento dos militantes  do MPLA naquela província pode prejudicar o processo de democratização do país e das eleições marcadas para 31 de Agosto".

MPDA

×